terça-feira, 12 de maio de 2015

O MELHOR SHOW DA MINHA VIDA

Com título em caixa alta mesmo para que se sinta o quanto a frase é verdadeira.
Todas as pessoas sabem o grande amor, admiração e respeito que tenho pelo Ed desde 2011. O conheci por causa do Rupert (vide Lego House) e desde lá foi amor que não parou de crescer.
Não poucas vezes ele falou com a minha alma em cada música, em cada acorde, em cada entrelinha. Ele me ensinou a olhar pra além do que eu vivia (ouça Little Lady), ele me ensinou a não parar no primeiro obstáculo e correr atrás do meu sonho (vide a história pessoal dele), ele me ensinou que não é errado fazer besteira, ser gente, se divertir, ser honesto, ser eu mesma...
Eu já tinha ido a um show dele no ano passado em Londres, foi um sonho? FOI. Mas quando eu não consegui comprar o ingresso para o primeiro show dele aqui no Brasil eu chorei por dias, porque eu sabia que o amor que o brasileiro tem ia fazer dos shows algo mais que especial, eu precisava recebê-lo no meu país, então quando começou as vendas para o show extra eu fui uma das primeiras a comprar e chorei de novo, mas de felicidade.


Essa última semana foi uma tortura para as pessoas que estudam comigo (pergunte ao Lucas), pois eu não parei de falar do Ed, de como eu tava ansiosa, chegou a segunda que antecedia o show eu chorava de ansiedade, na quarta eu tinha uma prova (a primeira da faculdade) e tudo que eu pensava era que a noite (198 dias depois do primeiro show que eu fui dele) eu o veria de novo.
Pela glória do bom Deus a prova não foi difícil e eu corri para o EDA ficar na fila (que eu queria ter dormido). Fila de show é todo o amor do mundo sempre, fiz amigos que não sei se vou ter para a vida, mas que com certeza vou levar a lembrança pra toda ela. Foi divertido, ri, comi e dividi experiências de vida e conheci directioners (algo que acontece em TODO o show, seja de quem for) que conheceram o Ed por causa do Rupert e foram nos mesmo shows dos meninos que eu ( conheçam a Mari linda <3 ).
Foi chegando a hora e minha boca estava seca, minhas pernas tremiam e no fim eu consegui ficar perto do palco, e cada vez que o tempo passava, nós chegávamos mais perto ainda. Teve o Toninho e muitos corações e sorrisos para aquele homem lindo do oh oh oh.
Aí pontualíssimo, como um inglês deve ser, Ed subiu ao palco e mostrou todo o seu talento, simpatia, presença de palco, seu amor. Em momento algum ele disso o tão esperado (por mim) eu te amo, MAS ele não precisou dizer, estava claro em cada sorriso, em como ele agiu, em como ele cantou, ficou claro quando ele levantou o microfone e gravou a gente cantando, quando ele fez segunda voz para o público (exatamente isso que você leu), quando ele riu – discretamente - da gente quando erramos a letra, ficou claro que ele estava feliz, radiante, extasiado.
Não apenas uma vez eu senti minha garganta sangrando de tanto que eu gritava/cantava/esguelava as músicas, “we Love you”. Meu ruivo preferido (segundo?) estava ali na minha frente, suando e cantando, fazendo a alma dele transparecer através dele dom que ele tem. Pra mim, ele é o cantor mais completo atualmente, ele SOZINHO comanda um show e não há um que saiu de lá reclamando, porque ele é o Ed Sheeran e lutou MUITO para estar aqui.
Como chorar embaça a vista, eu me controlei e curti o show, mas dei uma choradinha algumas vezes, coisa leve, como quando ele começou The A Team, não uma vez eu agradeci a Deus e meu pais em pensamento por eu estar ali, por o Ed ter entrado em minha vida, por ele estar ali com aquela blusa do Brasil azul e linda (das três a que ele ficou melhor foi a azul, perdão a todos os outros que não o viram nessa perfeição).
Quando The A Team começou, por sinal, eu entrei em êxtase, era como se eu nunca tivesse escutado ele cantar essa música antes (ela é minha segunda música preferida de todas dele) e eu fiquei com cara de louca, olho esbugalhado e boca aberta mesmo, com lágrimas (poucas) descendo e por pouco não fiquei sem cantar dada a emoção que me deixava em choque.
Ed sorria sempre, passava a mão naquele cabelo laranja feito por Deus em seu momento de inspiração a todo o momento como se nem ele mesmo acreditasse em tudo aquilo, em todo aquele amor que ele estava recebendo, foi lindo e não acredito que alguém tem saído de lá sem ter entendido o que é amor.
Quando foi chegando o fim, eu sabia como ia ser, eu sabia que Sing ia ser frustração e ele ia deixar a gente, me deixar lá cantando e ir embora, assim, sem mais e nem menos, e quando ele começou a sair eu já não era eu mesma, eu comecei a ir para a frente (onde não tinha como ir) e gritar que nem uma louca “NÃO! NÃO! NÃO! NÃO!”, mas ele se foi e nesse momento eu virei para a Má e só consegui dizer “ele foi embora”.
Doeu tanto, eu me senti impotente, foi o mesmo quando os meninos foram embora depois do último show... Um vazio irracional ficou.
Eu não o pude abraçar, contar para ele como ele mudou e muda a minha vida, ou tão pouco como a música e o exemplo dele salvaram a minha vida, mas há uma certeza dentro de mim que um dia eu vou poder contar tudo isso para ele e dar aquele abraço nele... eu só tenho certeza disso.
Gravei vídeos até o meu celular zerar a memória (detalhe que apaguei tudo que tinha lá) , gastei dinheiro e cada centavo valeu a pena, perdi aula, fiquei no sol, mas fiz amizades, o vi, vi seu sorriso, cantei junto, chorei e vivi o melhor show da minha vida.
Obrigado Ed Sheeran por você existir e não ter desistido.

ILYSM.


Nenhum comentário:

Comentário