segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

ínicio

E onde o preconceito começa?
Será por qual motivo que dizemos que a “inimiga” é uma gorda, feia, mal amada?
Será por qual motivo que a gente diz que uma pessoa é extremamente gostosa e outra não?
Porque uma pessoa pode arranjar alguém melhor e a outra tem que aproveitar porque se não vai ficar sem?
Porque alguém é mais interessante quando já viajou pelo mundo?
Ou quando tem possibilidade de fazer uma viajem, uma festa, comprar uma casa, um carro, ter um iphone?
Porque o gato da banda é mais legal que o nerd da escola?
Porque o vizinho nunca vai ser como o vizinho do bairro chique?

Porque somos hipócritas em dizer que o interior é o que vale quando nós não suportamos nos ver com o gordo, feio e nerd?
Apresentar alguém que não se encaixa no que a gente vê como belo para os amigos, para a família e até pra si é doloroso.
Você é legal, mas nunca é bonita.
Você não vai ficar sozinha, mas eu não vou ficar com você.
Você é linda por dentro.
Seu rosto é bonito.
Na verdade o mundo é o que os olhos podem ver, o mundo é feito de dor, de imperfeição, de macula.
Destruímos a nós mesmos e aos outros, porque isso é a vida. Isso é o mundo. Isso somos nós.

Nenhum comentário:

Comentário