quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Agora, sinto que meu coração bate da mesma forma



Somehow it feels like nothing has changed
Right now, my heart is beating the same
Out loud, someone is calling my name
It sounds like you

CUIDADO: Este post contém excesso de conteúdo “Fã Girl”

SIM, esse não é um texto de opinião, ou uma crônica. Ele é um texto de sentimentos? Sim, acho que é essa a palavra que se enquadra.
Eu não acompanho o trabalho dos meninos(One Direction)  desde o X-Factor ou pouco depois, na verdade foi bem depois, eu já ouvia as músicas, mas eu não era fã, pelo menos não declarada até uns 2 anos atrás.
E olha  eu não sou de muitos fandons não, eu sou de dois de verdade, talvez 3 se eu admitir o Sheeran in my life de vez, mas eu sou fã de música e ouço de tudo e acima de gostar de música eu me preocupo genuinamente por aqueles que tocam a minha alma através de suas canções.


Você pode achar que vou ficar aqui contando toda a história que tenho no mundo do fandon, ou contar pela milésima vez os por menores dos shows que eu fui, ou sobre o filme deles que assisti em Londres (e que dei entrevista depois, a pior do mundo, mas dei), ou tas tatuagens, ou das lágrimas e sorrisos que aconteceram por causa deles, mas não.
O que quero contar é sobre uma coisa que aconteceu hoje.
Pra contextualizar, o Zayn está doente e muito, muito magro, por causa de um problema de saúde não foi segunda no lançamento do cd deles em Orlando e eu e mais milhões de directioners entramos em pânico e choramos por não saber informações e por uma preocupação que doeu na alma. Não é exagero, você vai entender o porque de eu me sentir assim a seguir, então pedi a minha mãe ontem que rezasse por ele (a oração da minha mãe é muito boa, acredite) e também que eles viessem para o Brasil ano que vem.
Hoje eu acordei e fui conversar com ela e no meio da conversa teve esse dialogo:

Mãe: Eu estava escutando a oração na rádio e pensei “se eles vierem a Viviane vai gastar, eu não vou rezar por ninguém... mas eles ajudaram tanto ela quando ela precisou que eu vou sim pedir por eles”.
Eu: Mãe, eu amo tanto eles.
Mãe: Eu sei, eles te ajudaram quando você precisou.

Sabe, muita gente não entende o que eu sinto e eu não os culpo, nem eu entendo. Ás vezes eu nem queria sentir tudo isso, mas não foi algo que eu escolhi, pelo menos não consciente, eles fazem parte da minha vida, da minha história, eles estarão comigo até o último dia. Quando eu casar e tiver meus filhos, eles ainda serão meus meninos e o Harry o meu eterno e maior amor, o Niall o melhor amigo que eu gostaria de ter, o Zayn o cara mais carinhoso da história, o Liam o cara mais gostoso e bom que eu já conheci e o Louis um anjo que me ensinou que tudo que eu preciso é ser eu mesma.
Eu queria explicar o amor, às vezes arrancá-lo, as vezes fazê-lo ser retribuído, as vezes entender, mas no final eu sei que o amor só precisa ser sentido.

- Peço desculpa para aqueles que vieram aqui em busca de um texto maduro com assuntos atuais e pertinentes à mudança da sociedade, mas hoje eu acordei com o coração derramando o meu amor que tenho que é um dos mais sincero e que menos espera algo em troca.
Desculpa novamente, mas essa sou eu, as vezes terão alguns textos sobre todos os temas que para ti são pertinentes e as vezes terão textos assim, crus, sinceros e cheio de fãzisses.
Essa sou eu, prazer.

Um comentário: